A sensação do gol

Chris Maurício, cantor, compositor, ator e munganguento

 

Oh povo munganguento este que eu entrevisto no programa *Munganga no Ar, viu! Na sexta-feira, 22/09/17, em plena abertura da primavera, por sugestão de Sebastião Formiga, convidei um artista que tem tudo a ver com a estação das flores. Um doce de criatura, voz muito suave, composições cheias de amor e muito, mas, muito sossegado. Daquelas pessoas que a gente se sente bem quando está por perto. Tou falando do cantor, compositor e ator paraibano, Chris Maurício, autor das músicas Jampa; Dança de Amor; Labirintos de Ilusão e Mais de Mim.

Mas, eu não sei o que acontece com aquele estúdio. Basta entrar lá que o entrevistado se “transforma”. Pois bem! Chega Chris a rádio Sanhauá, no horário marcado, violão debaixo do braço, bem tranquilim, falando manso e… pimba! Bastou sentar na cadeira e as histórias começaram a aparecer de tudo quanto era jeito. Entre uma música e outra, o negócio chega transbordava.

Um de seus ofícios, enquanto artista multi, é tocar na noite pessoense. Duas dessas histórias aconteceram em barzinhos. Num deles, um cliente que já tava mais pra lá do que pra cá, no teor alcoólico, pedia, insistentemente, pra cantar. Observando as condições da criatura, Chris, negava, também, insistentemente. Mas, o homem não se dava por vencido. Chris também não e teve uma ideia que, na cabeça dele, seria “a ideia” e pensou: dessa vez ele desiste” e meteu a sentença:

– Moço, eu até deixo você cantar, mas, com uma condição: terá que ser sentado no meu colo.

Minino, o sujeito não contou conversa! Pense num caba obediente! Muitíssimo bem acomodado no colo do dono da ideia, meteu o aço a cantar. Como já tava vencido mesmo, Chris só tinha uma coisa a fazer: puxar o violão mais pra trás, pra ficar numa posição melhor de tocar e deixar uma perna livre, especialmente, pro “artista da noite” brilhar.

A segunda munganga foi mais vibrante, vamos por assim dizer. Quando tá tocando em barzinhos, Chris sempre observa o melhor momento de cantar suas composições. Numa noite, percebeu a galera bem empolgada e aproveitou pra executar uma de suas músicas. Acontece que, mal deu o primeiro acorde, o povo já começou a bater palma, gritar, pular, enfim, foi uma vibração só.

Ele logo pensou, impressionado – eitcha que nem eu sabia que esta música era boa desse jeito! Nem toquei ainda e já tão gostando assim? Foi quando percebeu que aquela euforia toda era porque o Flamengo tinha feito um gol. Na verdade, a “plateia” tava olhando mesmo em direção a Chris só que era prum telão, onde passava jogo, que ficava por trás do cantor.

 

*O programa Munganga no Ar é apresentado pela jornalista e humorista, Romye Schneider (esta que vos escreve), na rádio Sanhauá (1280 AM), de segunda a sexta, das 17 às 18 horas. É transmitido também pelo portal da emissora s1.com.br e pelo face Romye Schneider, ao vivo.

 

Abaixo, links de acesso ao trabalho de Chris Maurício:

Spotify: https://open.spotify.com/artist/7MPnk6Ee1fEbmlRrXJQVH1

YouTube: https://youtu.be/DlnG8fMv4jg

Instagran: @chrismauriciooficial

Fan page: https://www.facebook.com/chrismauriciooficial/

 

8 thoughts on “A sensação do gol

  1. Rapaz, pense numa munganga! É cada uma que a gente passa. Rsrs…
    Cada vez que leio é como se eu tivesse revivendo o momento. Confesso que no dia fiquei um pouco chateado com a história do gol, mas eu disse: um dia irei rir de tudo isso e hoje estou rindo, graças a você Romye que escreveu de forma tão divertida, mais do qie que foi no momento ate. Grande beijo Munganga!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *