Estima cheia de altos e baixos

Caixa onde guardo as coisas mais importantes pra mim

 

Estes dias assisti a uma palestra de Frei Betto e, em vários momentos, ele fazia referência e reverência a Paulo Freire. O pernambucano defendia que, absolutamente todas as pessoas, têm saberes diferentes e precisam ser respeitados e levados em conta.

Aquelas palavras me remeteram ao curso de Comunicação Social na UFPB (década de 80). A maioria dos colegas tinha vindo das melhores escolas privadas da capital e eu, vinha do interior onde estudei em escola pública. Em muitas discussões, sobre determinados temas, eu ficava mais perdida do que cego em tiroteio. Ou achava que ficava.

Até que, comecei a estudar com um professor que, logo logo, virou meu ídolo. O mote principal das aulas dele era exatamente o que Freire defendia: os saberes diferentes devem ser considerados. Todos. Achava aquilo lindo, o que não impedia que eu me intimidasse nas aulas dele. Como ele era cheio de títulos de doutor e pós pós e pós, novamente, me batia a insegurança de que todos ali sabiam mais  do que eu.

Até que, um dia, ele passou uma atividade: observar outdoors e depois trazer pra sala as impressões sobre a linguagem, etc e tal. Fiquei tão insegura que nem fiz o trabalho e nem fui pra aula no dia de apresentar o resultado, achando que tava me safando. Na próxima aula, ele veio me perguntar o que tinha acontecido pra eu faltar. Nem lembro da desculpa que dei.

Enfim, achei que tava livre. Até que ele passou outra atividade. Desse vez, não tinha como fugir. E aí não me restou outra alternativa a não ser responder do meu jeito, com a minha linguagem e o meu saber, apesar de raso, pensava eu.

Eis que foquei, sem dar um real de cabimento a insegurança e as respostas foram fluindo de um jeito que parecia psicografia. Entreguei ao professor que corrigiu e me entregou, imediatamente. Fiquei tão nervosa e curiosa pra ver o resultado que não sabia se olhava ali mesmo ou em casa. Não resisti e vi logo. Não acreditava no que os meus olhos estavam vendo: eu havia tirado nota 10,0 do professor mais culto do mundo. Pelo menos pra mim. Naquele instante, aconteceu um dos momentos mais felizes da minha vida!

Até hoje, guardo, na caixa das coisas mais importantes pra mim, a prova de que, aquele professor, aclamado, no meio acadêmico, aqui e fora, captou que eu tinha saberes, tão importantes quanto o de toda a turma, só que com uma linguagem diferente. Ou como ele mesmo dizia: com um repertório próprio.

Hoje, estudando com o meu filho, repassei a lição pra ele. Espero que tenha entendido e isso o ajude na hora de apresentar um trabalho de História.

E agora, repasso pra vocês, leitores. Quero entender junto que, assim como os saberes, todos temos inseguranças também distintas e manifestadas de diferentes formas. E talvez, por isso, a nossa estima (valor que damos a nós mesmas), seja tão cheia de altos e baixos.

 

 

18 thoughts on “Estima cheia de altos e baixos

  1. Parabéns sempre minha amiga, que com sua simplicidade diz tudo e fala lindamente claro e fácil de entender…sem arrodeios ou rebuscados…

  2. Sempre achei “inteligência” e “beleza” muuuuuuito relativas messsssssmo.
    Somos para uns…para outros não.
    Somos o que devemos ser.

  3. Verdade Romye, os receios, inseguranças, medos, ocultos em nosso íntimo nos paralisa, impede de voar… Conseguir superar ou agir, apesar deles estarem dentro do nosso ser, é crescimento que liberta! Pensei que só eu ainda mantinha a caixa das lembranças… Apesar que, de vez em quando, eu elimino umas coisinhas rss.

  4. Muito bom.
    A riqueza tá na diversidade, em tudo, e o saber, sobretudo.
    Imagina, quão monótono e sem criatividade se tivesse um tino só…

    Muito bom Romye.
    Siga firme e forte.
    Seu saber encanta.
    👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽👏🏽

  5. Romie, minha querida! Adoro teus relatos, viste? Essa forma de transmitir tuas experiências de vida são maravilhosas, por conter verdade, simplicidade e saber.
    Quem dera muitos que se dizem letrados tivessem esse dom.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *