Se até Bolo Baeta resulta de uma escolha, imagine as eleições?

Imagine a cena: você acorda querendo comer bolo baeta. Olha a carteira e fica feliz porque tem dinheiro suficiente pra realizar o seu desejo. Troca de roupa, vai à padaria e na hora que chega lá, vê A situação:  o balconista botando, ao lado do seu desejo matinal, um bolo de milho verde, saindo do forno. Hummmm! E agora? O que fazer? Neste momento você chega a uma conclusão importantíssima: oh coisa difícil é fazer escolhas e decidir.

O dia vai passando e as escolhas te perseguem. Desde a roupa, maquiagem – uso ou não uso- , até o brinco – é argola ou de pedra, até que decide. Fica linda, pelo menos decidiu que fosse assim, e se deparo com a “maravilha” do trânsito, um lugar de muitas escolhas e decisões imediatas.

Quem pode fazer isso por você? Somente uma pessoa no planeta Terra. Até há quem dê pitaco, mas, no final, quem decide, de verdade, é somente você!

Desde que nos entendemos por gente, que o leque de decisões abana nossa cara, todo santo dia. Em relação a tudo. Escrever este texto, por exemplo, é um exercício de escolhas e decisões.

Sugiro que juntemos tudo isso, que já faz parte da nossa rotina, com algo que, nos últimos meses, vem movimentando nossas vidas, chacoalhando nosso juízo, chamado eleições. Este sim é o principal momento para escolhas e decisões.

Durante a campanha, são muitas seduções (amo esta palavra por isso a escolhi), por meio de palavras bonitas, muitas vezes, “bordadas” nos bastidores dos interesses pessoais; guias eleitorais com qualidade técnica que mais parecem cinema e as redes sociais, que só “balançam” em direção ao tema. E tome xingamento; palavras de ordem; protestos; defesas de nomes, muitos… inúmeros deles; cada um que queira deixar claro suas posições políticas, partidárias, pessoais.

Pessoalmente, a minha preocupação é que toda esta “zoada” no pé do ouvido da gente, nos deixe desorientados quanto às nossas escolhas e decisões. Vou confessar: tem horas que fico sozinha, longe de todas as zoadas, menos da que vem de dentro do meu juízo.

E quanto mais penso, mais concluo que domingo, 07 de outubro, de 2018, será um momento das escolhas e decisões mais importantes na vida de um cidadão brasileiro. O voto é uma contribuição para escolher quem melhor vai governar o país; o estado (no caso, nossa linda Paraíba); criar leis que beneficiem a população e tragam recursos para ações que elevem o estado.

São escolhas que afetarão, de forma bem direta, a nossa vida; da nossa família; dos vizinhos; amigos; colegas de trabalho; de faculdade, etc e tal. Escolher entre o bolo baeta ou o de milho; a roupa que vai trabalhar; se vai brigar no trânsito ou ligar o som e ficar cantando, também é algo bem difícil, mas, são decisões e escolhas pessoais, que só nos dizem respeito. Já decidir os nomes de presidente, governador, senadores, deputado federal e deputado estadual, são escolhas sociais que dizem respeito a todos/as nós.

 

 

22 thoughts on “Se até Bolo Baeta resulta de uma escolha, imagine as eleições?

  1. Escolher é um direito que só damos valor quando somos proibidos de exercer. Por mais difícil que seja, não abra mão de continuar exercendo esse direito.

    1. Muito bem elaborado, você usou a receita certa. Show, show, show!👏👏👏
      O problema é que agora fiquei com desejo de comer bolo baeta!😋

  2. Somos, muitas vezes, educados para agradar, seja com a aparência, ostentando objetos, querendo aparecer legal na medida dos outros, tudo para ser aceito, e, assim, construir um mundo de fantasias sociais, muitas vezes, regado a drogas e cred card. Seja para agradar ou fugir dos desagrados!
    Quanto ao voto, em muitos casos, para agradar os outros, só por obrigação, por dinheiro ilícito e outros para defender os interesses dos grupos partidários, e o principal que é o todo mundo ficar na eterna alegria da espera com promessas e apelos vigentes no período eleitoral… Ufa! Até quando vamos poder comer todos os bolos e nos deliciarmos das melhores decisões e acertos de um país?

  3. Desmotivação, apatia, desinteresse, falta de comprometimento, e se ausentar do processo DEMOCRÁTICO, outrora, de uma conquista elevado custo social, hoje, se vê ameçado. Há interesses que assim siga…enfim, como comboios, melhor a manipulação.

  4. Parabéns amiga pelo belo texto, muito bem elaborado, achei muito criativo, concodo com você, todos os dias nos deparamos com inúmeras escolhas que precisamos decidir, e é como você falou, essas escolhas só dependem de cada um de nós, e o que é mais importante: devemos respeitar o ponto de vista de cada um, sem brigas e desavenças, tratando o outro com dignidade.

  5. Apesar de tudo, ainda tenho esperança de ver o Brasil se tornar um país melhor. Escolher entre o bolo de milho e o baeta é fácil, porque qualquer um é bom. Espero estar apostando no melhor para não ver o Brasil retroceder. Belo texto.

  6. Perfeito, amiga! Algumas escolhas são mais simples (prefiro bolo de milho), outras mais complexas. Que nessa eleição o povo acorde pra escolher as pessoas q realmente nos representem. ELENÃO…

  7. Parabéns pelo texto Romye, o que vai fortalecer a tomada de decisão é a nossa essência e que possamos dialogar com nossos ideais para tomar a decisão e escolher o melhor para nós. Quanto ao bolo eu ficaria com o desejo inicial que o texto trás, mas como estou de dieta, continuarei aqui escolhendo a dieta!! bjsss e um forte abraço !

  8. Texto perfeito e de acordo com situações momentâneas que enfrentaremos até o segundo turno, pois o voto é exclusivo e decisório, precisamos estar totalmente sóbrios na hora dessa decisão. Portanto, uma vez decidido, não poderemos voltar atrás.

  9. Ótimo texto! Agora entre o bolo de baeta e o de milho eu escolheria ELE SIM o de baeta. Porque já cansamos de muitos bolos estragados de anos a fio. Agora é hora de mundança. E no dia 28 faremos uma festa de bolos de baeta. De preferência vindos em embalagens verdes e amarelas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *